logo da Quercus

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.subscrever feeds

.etiquetas (tags)

. todas as tags

Conferência de Poznan - 2008
Conferência de Bali - 2007
Conferência de Nairobi - 2006
Videos Clima no Sapo
Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

Tensão na recta final da COP15

Diário vídeo da ONG brasileira Vitae Civilis sobre o dia de hoje em Copenhaga, a três dias do final da COP15.

 

etiquetas (tags): ,
publicado por climáticas às 20:40
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 16 de Dezembro de 2009 às 22:46
Não me espanta nada a ausência de um acordo em Copenhaga, aliás penso que é até melhor não haver nenhum acordo do que haver uma coisa pifia que sirva apenas para descansar as prestimosas consciências.
Coisas como mercados de carbono, bolsas de emisões e outras armas de igual calibre, servem apenas para o capital tornar mais esta questão numa neociata, com uns lucrozitos por fora. Não me espanta nada que daqui a pouco surjam mercados de derivados, relativos aos mercados do carbono.
Na realidade este comércio serviu em Quioto para disfarçar a incompetência e a falta de vontade política para atacar com medidas legisativas e acções o crescimento das emissões. Isto porque governo nenhum se atreveu a por freio nos meios económicos. Uns por conivência outros por receio da fuga de investimentos que, de qualquer forma se revelaram ruinosos para os países receptores.
Os governos andam , hoje em Copenhaga como antes, a reboque dos interesses económicos, em lugar de colocarem a enfase nas populações e na satisfação das suas necessidades. Estas podem ser satisfeitas mesmo com uma fortíssima limitação da economi do Carbono, donde o paradigma do desenvolvimento poderia já ter sido alterado. Mas não o é.
Diminuir emisões comprando hipotéticas emissões que se desconhece se vão sequer existir, ou através de investimentos feitos em outros países, não só disfarça o problema como impede acções destes países em seu próprio benefício, como desresponsabiliza os países e empresas que investem. Além disso os benefícios finais nunca foram para os países onde se verificou o investimento e muito menos os resultados para as suas populações.
Concluindo, um qualquer acordo em Copenhaga não serve, e não é nada liquido que o tipo de acordo necessário tenha a concordância dos países desenvolvidos. Logo parece bem mais positiva a falta de acordo e a necessidade de retomar negociaçõe em bases mais sérias do que labporar neste logro.

Comentar post

.ligações externas

.mais sobre mim

.arquivos

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

.pesquisar

 
blogs SAPO